10/10/2012

Onde está sua mala?

Você acredita que carrega malas alheias?
Vamos fazer um exercício?
Como você reage quando seu filho não quer fazer a lição?
Ou quando alguém não consegue arrumar a própria mala para a viagem de férias, perde a hora do trabalho com frequência, gasta mais do que ganha… e muitas coisinhas mais que vão fazendo você correr em desvario para tapar buracos que não criou e evitar problemas que não afetam sua vida diretamente?
Não afetam a sua vida, mas afetam a vida de pessoas queridas, então, você sai correndo e pega todas as malas que estão jogadas pelo caminho e as coloca no lombo (lombo aqui cai muito bem, fala a verdade) e a sua mala, que é a única que você tem a obrigação de carregar, fica lá, num canto qualquer da estação.
Repetindo, a sua mala, que é a única que você tem obrigação de carregar, fica lá jogada na estação!
Temos uma jornada e um propósito aqui neste planeta e quando perdemos o foco, passamos a executar os propósitos alheios.
A estrada é longa e o caminho muitas vezes nos esgota, pois o peso da carga que nós nos atribuímos não é proporcional à nossa capacidade, à nossa resistência e o esgotamento aparece de repente.
Esse é o primeiro toque que a vida nos dá, pois, quando o investimento não é proporcional ao retorno, ou seja, quando damos muito mais do que recebemos na vida, nos relacionamentos humanos ou profissionais, é porque certamente estamos carregando pesos desnecessários e inúteis.
Quando olhamos para um novo dia como se ele fosse mais um objetivo a cumprir, chegou a hora de parar para rever o que estamos fazendo com o nosso precioso tempo. O peso e o cansaço nos tornam insensíveis à beleza da vida e acabamos racionalizando o que deveria ser sacralizado.
É o peso da mala que nos deixa assim empedernido. Quanto ela pesa?
Quanto sofrimento carregamos inutilmente, mágoa, preocupação, controle, ansiedade, excesso de zelo, tudo o que exaure a nossa energia vital.
E o medo, o que ele faz com a gente e quanta coisa ele cria que muitas vezes só existe dentro da nossa cabeça?
Sabe que às vezes temos tanto medo de olhar para a própria vida que preferimos tomar conta da vida dos filhos, do marido, do pai, da mãe… e a nossa mala fica na estação…
O momento é esse, vamos identificar essa bagagem: ela é sua? Ótimo, então é hora de começar uma grande limpeza para jogar fora o lixo que não interessa e caminhar mais leve.
Agora, se o excesso de peso que você carrega vem de cargas alheias, chegou a hora de corajosamente devolvê-las aos interessados.
Não se intimide, tampouco fique com a consciência pesada por achar que a pessoa vai sucumbir ao fardo excessivo. Ao contrário, nesse momento você estará dando a ela a oportunidade de aprender a carregar a própria mala.
A vida assim compartilhada fica muito mais suave, pois os relacionamentos com bases mais justas e equânimes acabam se tornando mais amorosos, sem cobranças e a liberdade abre um grande espaço para a cumplicidade e o afeto.
Onde está a sua mala?

(desconheço a autoria do texto)

24/09/2012

Escudo contra a Depressão


As estatísticas mostram que um número significativo de pessoas sofre de depressão. E as vítimas são cada vez mais jovens, afirmam os especialistas.
Ter depressão é muito mais do que se sentir triste por causa de algum problema. É não encontrar mais prazer em nada, não conseguir tomar decisões, perder a esperança e se tornar descrente de tudo. Neste sentido, alguns comportamentos e atitudes poderão funcionar como uma espécie de escudo contra a depressão.

1ª regra: Tenha pensamentos otimistas. Ninguém nasce pessimista, pensar de forma negativa é alguma coisa que se aprende e que pode ser esquecida. Por isso, quando alguma coisa sair errada, não se ache incompetente. Pense que é apenas um caso individual, que não deve ser generalizado.

2ª regra: Tente relaxar mais. Trabalhe, mas programe o seu dia para ter seus momentos de descontração. Não deixe de ter alguma atividade positiva, edificante.
  • Ouça músicas que lhe acalmem o coração e os pensamentos;
  • Saia para um passeio sem compromisso de ir a lugar específico;
  • Dê uma volta na quadra. Vá até uma praça olhar as crianças brincando;
  • Deixe o sol lhe acariciar o rosto e o vento lhe desarrumar os cabelos;
  • Cuide de um jardim. Plante e cultive flores dentro de casa;
  • Frequente teatro, grupos de conversas, uma boa roda de amigo, a praia o campo, diversificando sempre para não criar monotonia;
  • Seja um voluntário, afeiçoe-se a um trabalho voltado para o bem. Sinta-se útil.
3ª regra: Procure apoio social. Quem sofre de depressão tem a tendência de resolver tudo sozinho. Por isso, converse com alguém que você confie, alguém que seja capaz de avaliar seus problemas e ajudar você a resolvê-los. Poder ser um amigo, uma companheiro de crença para um diálogo fraterno, um grupo de auto-ajuda, um psicoterapeuta. Por vezes o depressivo acha difícil até de pensar em deixar as quatro paredes. Entretanto, o esforço vale a pena.

Não se permita descer ao fundo do poço, nem cair até os últimos degraus de depressão. A vida é um presente do Pai Criador e precisa ser cuidada com zelo e gratidão. Ainda que haja muitas tristezas e lamento e sua vida, se olhar com mair profundidade irá ver que há muito para motivos para agradecer.
(desconheço a autoria)

30/08/2012

Workshop da Auto Estima


Auto estima é a sensação de que temos valor, é a confiança em nossa capacidade de dar conta dos desafios básicos da vida. É acreditar na capacidade própria de pensar, aprender, tomar decisões adequadas e reagir de maneira positiva às novas condições. Diz Nathaniel Branden que quanto mais sólida for nossa auto estima, mas bem preparados estaremos para lidar com os problemas e desafios que surgem em nossa vida pessoal e profissional. Mais rápido conseguiremos nos erguer depois de um tombo e recomeçar. 
Neste workshop da auto estima através da escuta, da fala e de atividades práticas instiga-se os/as participantes a auto observação, a identificação e o treino de comportamentos/atitudes deste valor pessoal fundamental para nossa vida. Vale a pena participar. Contate e contrate. Este worshop é desenvolvido por uma psicóloga e facilitadora de grupos.

27/08/2012

Café com as amigas faz bem


A Relação entre o Corpo e a Alma, Stress e Desconforto Físico (Palestra do Chefe de Psiquiatria da Universidade Stanford)

No final de uma palestra o palestrante apontou, entre outras coisas, que os estudos mostram que uma das melhores coisas que um homem pode fazer por sua saúde é se casar com uma mulher. O casamento aumenta a longevidade e o bem-estar pessoal do homem.
E sobre a mulher? O palestrante apontou dado surpreendente - a mulher, por sua saúde, precisa cultivar seus relacionamentos com suas amigas! No início, essa declaração provocou risos na platéia, mas o professor  falou muito a sério. Estudos realizados mostram que as mulheres se conectam de maneira diferente dos homens e fornecem outros sistemas de apoio que as ajudam a lidar com experiências estressantes e difíceis em suas vidas. "Tempo de Amigas" é muito significativo no nível  fisiológico, ajuda a produzir mais serotonina (um neurotransmissor) que auxilia no combate à depressão e cria um sentimento geral de bem-estar e um sentimento positivo.
As mulheres tendem a compartilhar seus sentimentos, enquanto os homens geralmente se conectam em torno de tarefas. Eles raramente se sentam com um amigo falando sobre como se sentem sobre algo, ou como está sua vida pessoal. Trabalho? Sim! Esportes? Sim!, Carros? Sim! Mas os seus sentimentos? Apenas raramente.

As mulheres fazem isso o tempo todo. Elas compartilham sentimentos e emoções das profundezas de suas almas com suas amigas, e parece que isso realmente contribui para a sua própria saúde.
O conferencista acrescentou, sublinhando que o tempo gasto com amigas é tão importante para a saúde das mulheres como correr ou trabalhar no
ginásio. De fato, há uma tendência a se pensar que é quando nos  envolvemos com alguma atividade física que estamos fazendo algo de bom  para o nosso corpo, enquanto que quando falamos com as nossas amigas, nós "desperdiçamos" o tempo em vez de fazer algo mais produtivo. Então, provavelmente, isso não é verdade.

Na verdade, o orador salientou que não criar e manter relacionamentos de qualidade com outras pessoas prejudica a nossa saúde física, "pelo menos, como o fumo! "

Portanto, cada vez que nós (as mulheres, é claro) sentamos para conversar com uma amiga, é importante congratular-nos de que estamos fazendo algo benéfico para a nossa saúde. Na verdade, nós somos sortudas! Nossas amizades são essenciais para nossa saúde!
***************************************************************************************************

31/07/2012

Os problemas são despertadores

Na Índia os mestres sempre dizem:
Os problemas são despertadores que tentam acordar as pessoas para a vida.  Aproveite para acordar logo, antes que o próximo despertador faça mais barulho
Pense nisso: O que essa dificuldade está querendo mostrar a você?
Problemas são avisos que a vida nos envia para corrigir algo que não estamos fazendo bem.  Problemas e doenças são sinais de emergência para que possamos transformar nossas vidas. Aliás, problemas e doenças guardam muita semelhança entre si. Infelizmente, a maioria das pessoas, quando fica doente, cai num lamentável estado de prostração ou simplesmente toma remédio para tratar os sintomas em vez de fazer uma pausa para refletir sobre os avisos que essa doença está enviando. São poucos os que se perguntam:  “Por que meu organismo ficou enfraquecido e permitiu que a doença o atacasse?”
Uma doença é sempre um aviso, embora muita gente não preste atenção nele. Assim como os problemas, os sintomas vão piorando na tentativa de fazer com que você entenda o recado. No começo pode ser uma leve dor de cabeça um recado para que você pare e analise o que está faltando em sua vida.
Mas você não tem tempo, toma um analgésico e nem percebe direito que a dor está aumentando.  Então a dor piora, mas você vai à acupuntura para aliviá-la e não presta atenção quando o médico diz que o tratamento é paliativo e que você precisa mudar seu estilo de vida para eliminar as causas da doença.
As doenças são recados que precisamos levar a sério, principalmente as doenças que se repetem. Dores de cabeça, alergias de pele, má digestão, todos esses distúrbios querem nos mostrar algo.  Saber procurar e achar as causas deles é uma atitude muito sábia.
Nossos inimigos, da mesma forma que os problemas e as doenças, são gritos de alerta para cuidarmos de algo que não está certo em nossa vida.
Quando os ouvimos com atenção, nossos inimigos podem se transformar em maravilhosas alavancas de crescimento pessoal.
Assim como as doenças e os inimigos, os problemas nos enviam avisos que precisamos aprender a decodificar.  Se você tem um problema que está se repetindo em sua vida, é chegada a hora de fazer uma análise do seu significado para poder superá-lo.
E tenha muito claro que, no momento em que supera um problema que o acompanha por algum tempo, uma nova pessoa nasce dentro de você.
Autoria: Roberto Shinyashiki

10/05/2012

Desculpem o transtorno, estou em contrução

Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos. Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos. Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente, mas agredimos.
Não respeitamos o tempo do outro, a história do outro. Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos e o outro é apenas um detalhe. E, assim, vamos causando transtornos.Esses tantos transtornos mostram que não estamos prontos, mas em construção. Tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma.O outro também está em construção e também causa transtornos. E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca. Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto. E quando não é um, é outro. E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer.
Os erros dos outros, os meus erros. Os meus erros, os erros dos outros.
Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram. A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão.
Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras. É compreender que os transtornos são muitas vezes
involuntários. Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante. Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado. E será um desperdício. O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão.
É um banho na alma! Deixa leve! Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos…Estou em construção!
(desconheço a autoria)

23/04/2012

Boa semana

por Simone Ferreira


Não detesto a segunda-feira e não aguardo desesperadamente a sexta-feira. Amo todos os dias da semana. A segunda me ajuda a sair da zona de conforto. A terça é otimo dia para agradecer a benção de ir para o trabalho. Na quarta pode rolar um jantar romântico, caprichado... adorooo. Na quinta aprecio um bom papo regado a um delicioso cafezinho com as amigas, é um excelente dia para cuidar do corpo ...e da alma. A sexta é perfeita para uma passadinha na casa da mãe, das irmãs, das amigas. Sábado pode dar praia, parque, piquinique com as crianças, comprinhas no shopping, na feirinha do bairro, ótimas leituras, filminho com pipoca, altas produções!! E o que dizer do almoço de domingo com a família!? De um chimarrão na beira-mar e de passear com um bichinho de estimação? São tantas as opções que não há como não gostar de todos os dias da semana. Curtir a vida e construir sua felicidade em qualquer dia, em um simples instante.

20/04/2012

Canção dos Homens

Que quando chego do trabalho ela largue por um instante o que estiver fazendo - filho, panela ou computador - e venha me dar um beijo como os de antigamente.
Que quando nos sentarmos à mesa para jantar  ela não desfie a ladainha dos seus dissabores domésticos.
E se for uma profissional, que divida comigo o tempo de comentarmos nosso dia.
Que se estou cansado demais para fazer amor, ela não ironize nem diga que "até que durou muito" o meu desejo ou potência.
Que quando quero fazer amor ela não se recuse demasiadas vezes, nem fique impaciente ou rígida, mas cálida como foi anos atrás.
Que não tire nosso bebê dos meus braços dizendo que homem não tem jeito pra isso, ou que não sei segurar a cabecinha dele, mas me ensine docemente se eu não souber.
Que ela nunca se interponha entre mim e as crianças, mas sirva de ponte entre nós quando me distancio ou me distraio demais.
Que ela não me humilhe porque estou ficando calvo ou barrigudo, nem comente nossas intimidades com as amigas, como tantas mulheres fazem.
Que quando conto uma piada para ela ou na frente de outros, ela não faça um gesto de enfado dizendo "Essa você já me contou umas mil vezes".
Que ela consiga perceber quando estou preocupado com trabalho, e seja calmamente carinhosa, sem me pressionar para relatar tudo, nem suspeitar de que já não gosto dela.
Que quando preciso ficar um pouco quieto ela não insista o tempo todo para que eu fale ou a escute, como se silêncio fosse falta de amor.
Que quando estou com pouco dinheiro ela não me acuse de ter desperdiçado com bobagens em lugar de prover minha família.
Que quando eu saio para o trabalho de manhã ela se despeça com alegria, sabendo que mesmo de longe eu continuo pensando nela.
Que quando estou trabalhando ela não telefone a toda hora para cobrar alguma coisa que esqueci de fazer ou não tive tempo.
Que não se insinue com minha secretária ou colega para descobrir se tenho amante.
Que com ela eu também possa ter momentos de fraqueza e de ternura, me desarmar, me desnudar de alma, sem medo de ser criticado ou censurado: que ela seja minha parceira, não minha dependente nem meu juiz.
Que cuide um pouco de mim como minha mulher, mas não como se eu fosse uma criança tola e ela a mãe, a mãe onipotente, que não me transforme em filho.
Que mesmo com o tempo, os trabalhos, os sofrimentos e o peso do cotidiano, ela não perca o jeito terno e divertido que tanto me encantou quando a vi pela primeira vez.
Que eu não sinta que me tornei desinteressante ou banal para ela, como se só os filhos e as vizinhas merecessem sua atenção e alegria.
E que se erro, falho, esqueço, me distancio, me fecho demais, ou a machuco consciente ou inconscientemente,
Ela saiba me chamar de volta com aquela ternura que só nela eu descobri, e desejei que não se perdesse nunca, mas me contagiasse e me tornasse mais feliz, menos solitário, e muito mais humano.

Autoria: Lya Luft

19/04/2012

Canção das Mulheres

Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.
Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.
Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.
Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.
Que o outro sinta quanto me dói  a idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de voltar logo à sua vida.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo ''Olha que estou tendo muita paciência com você!''
Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.
Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.
Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa - uma mulher.

Autora: Lya Luft

01/04/2012

Palavras Mágicas

Existem algumas palavras mágicas que fazem a diferença em nossas vidas:
GRATIDÃO: por tudo o que recebemos.
AMOR: poder sentir e demonstrar.
TRABALHO: que nos dá dignidade e meios para progredirmos.
FÉ: em Deus e na vida.
SAÙDE: para termos condições de fazer o melhor por nós e pelos outros.
HARMONIA: estar de bem conosco para estarmos de bem com os outros.
UNIÃO: pois uma andorinha só não faz verão.
PAZ: no coração.
PROSPERIDADE: a realização dos nossos sonhos.

(desconheço a autoria)

26/03/2012

Atitude é tudo

por Paulo Roberto Gaefke

Sinto dizer que sem esforço nada vai acontecer! Não adianta reza forte, nem macumba com 20 velas.
Se você não se decidir pelo primeiro passo,  se você não sair desse quarto,  nem os anjos e nem Jesus poderão te ajudar, se você não se ajudar!
Quer emagrecer?  Caminhe todos os dias,  pare de dizer que não tem dinheiro para a academia.
A rua é livre, de graça e está te esperando, seja noite, seja dia.
Quer um novo emprego?  Estude algo novo, aprenda um pouco mais do seu ofício, faça a diferença e as empresas vão correr atrás de você!
Quer um novo amor?  Saia para lugares diferentes, assista a um bom filme, leia um bom livro, abra a cabeça, mude os pensamentos,  e o amor vai te encontrar no metrô, no ônibus, na calçada, e em qualquer lugar, pois você será de se admirar. Pessoa que encanta só de olhar...
Quer esquecer alguém que te magoou?  Enterre as lembranças e o infeliz!  Valorize-se criatura!  Se você se valoriza, sabe quanto vale,  sabendo quanto vale não se troca por qualquer coisa. Se alguém te deixou é porque não sabe o seu valor.  Logo, enterre a criatura no lago dos esquecidos.  E rumo ao novo que o novo é sempre mais gostoso...  Quer deixar de dever?  Pare de comprar.  Não faça dívida para pagar dívidas! Nunca! Jamais!  Faça poupança e peça para o povo esperar.  “Devo, não nego, pago quando puder.”  Assim, a cabeça fica livre e você vai trabalhar. Em breve, não terá mais nada para pagar...
Quer esquecer uma mágoa?  Limpe o seu coração, esvazie-se... 
Quem tem equilíbrio não guarda mágoas.  Só as pessoas com problemas emocionais é que se ressentem.
Ficam guardando uma dor, alimentando como se fosse de estimação.
Busque o equilíbrio emocional. Doe-se, ame mais e tudo passa.
Quer viver bem?  Ame-se!  Felicidade é gratuita, não custa nada.
É fazer tudo com alegria, nos mínimos detalhes. 
Pergunte-se e se achar resposta que te satisfaça, comece tudo de novo:  Pra que 2 celulares? 1 pra cada orelha?  Pra que 3 computadores, se não tem uma empresa?  4 carros?  6 quartos se é você e mais 1 ou 2?   40 pares de sapato, se tem apenas 2 pés ?
A vida pede muito pouco e nós precisamos de menos ainda.
Acorde enquanto é tempo e comece a mudança, antes que o tempo venha e apite o final do seu jogo!
Espero que você pelo menos tenha vencido a partida.

08/03/2012

Dia Internacional da Mulher



Que estas flores representem a delicadeza e o encantamento que a mulher possui. Basta de desigualdades, de violência e discriminação. Que o mundo saiba apreciar a beleza deste ser que veio ao mundo para torná-lo mais leve. PARABÉNS MULHER pela sua beleza, força e coragem!!

26/02/2012

Síndrome da pressa

Se você vive de olho no relógio, está sempre reclamando que seu tempo não dá pra nada. Se fica irritado em uma fila se tem que esperar 10 minutos, tem vontade de sacudir alguém que é mais lento do que você, fique atento e leia um pouco sobre a síndrome da pressa. Identificando-se com o assunto não fique parado(a), busque ajuda.

Apesar de não ser reconhecida oficialmente pela psiquiatria, a síndrome da pressa é estudada desde 1980. Segundo estudo realizado pelo International Stress Management Association do Brasil (Isma-BR), entidade que estuda os efeitos do estresse, o transtorno já atinge cerca de 30% dos brasileiros. Ele não constitui uma doença, mas uma série de comportamentos que altera significativamente a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.
As pessoas que sofrem desse transtorno vivem literalmente com pressa, ou seja, não sentem ansiedade apenas em contextos específicos, como antes de uma reunião importante. “A pressa do dia-a-dia é pontual, direcionada para um momento. Já a síndrome acompanha o indivíduo nas 24 horas. Ele acredita que é pouco tempo para dar conta de suas demandas, acumula cada vez mais  funções e se sente culpado se não faz mais coisas”, explica a psicóloga Katie Almondes.  A pressa é uma característica dos dias de hoje e é muito difícil encontrar alguém que não tenha que cumprir prazos e horários, ou não se importe com eles. Mas especialistas afirmam que essa preocupação excessiva pode ser considerada uma síndrome, com consequências importantes para a saúde. O transtorno é caracterizado por um conjunto de sinais como tensão, hostilidade, impaciência, ansiedade, valorização da quantidade e desvalorização da qualidade, sono agitado, inadmissão a atrasos, problemas de memorização e interrupção da fala de terceiros. Os pesquisadores ainda não sabem se esse transtorno é causado pelo ritmo frenético imposto pela atualidade, ou se é uma característica genética. A pressa constante afeta a qualidade de vida em vários níveis: pessoal, profissional, emocional e físico. Isso porque a pessoa deixa de se dedicar aos relacionamentos e a qualidade do trabalho fica comprometida. Além disso, a ansiedade e a frustração constantes afetam a qualidade do sono e da alimentação, o que pode acarretar uma série de doenças. Depressão, distúrbios gástricos, transtornos alimentares, insônia, dores musculares, fadiga e pressão alta podem ser algumas consequências.

Fonte: 
http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2010/07/06/sindrome-da-pressa-ja-afeta-cerca-de-30-dos-brasileiros-diz-especialista.jhtm